rayland-baxter

Comentamos cada faixa do novo disco do Rayland Baxter; vem conferir!

Qual foi a última vez que você parou para ouvir de verdade um disco? Não, eu não estou falando de deixar um som de plano de fundo enquanto você faz qualquer outra coisa. Estou falando de parar, dar play e apreciar sem moderação.

Bom, eu passei alguns dias focada em “Imaginary Man”, novo trabalho do Rayland Baxter. Abaixo, compartilho minhas impressões sobre o disco!

1. Mr. Rodriguez

Primeiro, é preciso deixar claro que o Baxter se revela um baita artista de folk-narrativo, aquele que conta histórias em suas letras. Para mim, a faixa de abertura do álbum não poderia ser escolhida de melhor forma. Bela história. Bela melodia. Guitarras bem colocadas, sem perder a leveza que o disco propõe.

 

2. Oh My Captain

Minha faixa favorita! Gruda na cabeça. Não a toa, é a música escolhida para encabeçar o disco em rádios e versões acústicas em canais do YouTube.

3. Mother Mother

A faixa é uma delícia de ouvir. E é bem curtinha. Mais uma vez, a letra remete a histórias do cotidiano. E como eu gosto disso no folk! Mais uma vez, boas guitarras. Mas agora elas são acompanhadas de um “la-bi-da-bi-da-bi-da” para cantarolar o dia inteiro. Talvez, assim como eu, você lembre dos Beatles quando ouvi-la.

4. Yellow Eyes

Uma baita combinação de cordas logo no começo da faixa. Receita certa para me pegar. “Yellow Eyes” foi a primeira faixa do disco a ser divulgada, além de ser a única com vídeo oficial no canal do músico no YouTube. Esse é o tipo de música que me lembra os clássicos do John Denver, como “I’m sorry”, “Back Home Again” e “Leave On a Jet Plane”. Claro, com uma pitada de arranjos mais modernos. Arrisco dizer que essa é a minha segunda faixa favorita.

5. Rugged Lovers

A faixa marca a transição do disco para uma sequência mais acústica. Caso você esteja ouvindo o disco na ordem das faixas (coisa que gosto muito de fazer), vai observar que a partir daqui o som se torna mais leve e mais profundo. A letra é incrível. E, melodicamente falando, essa é uma das faixas mais bonitas.

6. Young Man

Gosto da bateria no começo dessa música. Aqui eu lembro mais do folk no estilo Jhonny Cash. O som é mais misterioso e o rock é mais presente também. Talvez você lembre dos beatles mais uma vez aqui, naquele período mais psicodélico deles, sabe?

7. All In My Head

Mais uma canção que me remete muito a juventude do James Taylor. Uma história cantada. Doce, gostosa de ouvir e cantar.

8. Freakin Me out

Seria redundante falar que é uma faixa típica de um folk-narrativo. Já falei lá em cima que é isso que o Rayland faz, mas é isso que a faixa é. Essa é a canção mais longa do disco e tem um refrão bem repetitivo e fácil de decorar, ainda não sei se gosto disso. De qualquer forma, eu amo a doçura da voz do Baxter aqui.

9. Memories of Old Hickory

Quem escuta o country-folk da velha guarda, como o James Taylor, vai curtir essa faixa. O som é leve, as cordas intensas. A narrativa é gostosa e a melodia chega a lembrar o som caipira que estamos acostumados aqui no Brasil.

10. Your Love

Mais uma melodia que vai nos lembrar o som caipira brasileiro. Mas aqui a gente encontra uma guitarra e uns assobios que trazem uma paz que nos levam a um outro nível. É só fechar os olhos e viajar para uma praia deserta. Brisa, sol, mar e essa canção.

11. Lady of The Desert

Essa é mais uma faixa que remete ao som da velha guarda do country-folk americano. Aquele que puxa mais para o estilo americana. Dedilhados, sonoridades que nos lembram espaços abertos de campos com montanhas ao fundo e que caberia facilmente na trilha sonora de um filme.

Abaixo você confere o disco na íntegra!

Compartilhe