guilherdesa

Guilherme de Sá (Rosa de Saron) romantiza Deus em seu primeiro trabalho solo; Ouça o folksy “Íngreme”

guilhermedesaingreme-1024x1024

Data de lançamento: 17 de março de 2017
Selo: Som Livre

A voz de Guilherme de Sá pode soar familiar para você, afinal ele está a frente de uma das mais conhecidas e antigas bandas de rock cristão no país, a Rosa de Saron.

A novidade é que neste ano, ele se aventurou lançando seu primeiro álbum solo. Intitulado “Íngreme”, o trabalho foi gravado em dezembro de 2016, em estúdio caseiro, e lançado em março sob o selo da Som Livre.

Com um bom violão e foot tapping de leve, sem dúvidas, a canção “Ágora” é o carro chefe deste trabalho. A propósito, esta foi a faixa single que iniciou as divulgações do disco.

As letras do disco são belíssimas e confessionais. E o mais curioso, romantizam a imagem de Deus, tornando-o um amigo amável e confidente.

Vale dizer que “Íngreme” não é 100% autoral, nem em português. A faixa “Un peu d’air” (sucesso em 2013 na voz de Marilou Bourdon, cantora de origem canadense que se tornou estrela no universo da música pop francesa), por exemplo, ganhou uma releitura super folksy para este trabalho. “Sometimes you can’t make it on your own”, sucesso do U2 em 2004, também aparece com uma nova roupagem.

Mesmo com o violão dando o tom do álbum do início ao fim, o rock surge como contraste em algumas faixas como “Algúria (Ou Disúria?)” e “Floresta de bétulas”, composição feita por Guilherme em memória dos milhões de pessoas assassinadas nos campos de concentração de Auschwitz, na Polônia, nos anos 1940.

Além da música em francês, da influência irlandesa do U2 e da faixa que mencionamos acima, a Europa aparece também na capa do disco. A foto é de Pamela Gallo de Sá e mostra o músico em frente a uma igreja situada na cidade alemã de Schwangau.

Ouça “Íngreme”:

Compartilhe