johnny-fox-promo-pic-4

Irlandês Johnny Fox lança “Cais” e conta sua história de amor pelo Brasil

Johnny Fox é um músico lo-fi/folk de Wexford, na Irlanda, e já tem uma bela bagagem em sua discografia. Em outubro deste ano, ele lançou “Cais”, seu primeiro disco em português. A curiosidade bateu forte e fomos descobrir como ele se apaixonou pelo Brasil a ponto de gravar um álbum todinho em português. Confere aí.

“A minha relação com o Brasil começou quando o meu irmão foi morar em Recife. Ele me mostrou muitas coisas da cultura do país e eu recebi de presente dele um agogô e a ‘Tábua de Esmeralda’ do Jorge Ben em CD. Eu ainda tenho os dois”, contou Johnny que alguns anos depois conheceu sua namorada, a brasileira Samantha, e estreitou de vez sua relação com a terra canarinha.

“Nos encontramos em Dublin e depois de um ano aqui juntos, a gente resolveu mudar para São Paulo. A Samantha estava com saudades e eu queria pegar um gostinho da vida Brasileira, encontrar a família dela e aprender um pouco da língua. Graças a uma amiga da mãe da Samantha, a gente achou uma quitinete bem no centro, perto do metrô Anhangabaú e a gente passou um ano e meio muito especial lá. A gente gravou uma música do Marcelo Camelo no apartamento e o clipe mostra um pouco da vibe que a gente tinha lá”, contou.

Enquanto estava aqui no país, Johnny conta que não foi fácil, mas ele se virou como pôde “eu fiz o que vários outros estrangeiros fazem, me matriculei na PUC para estudar Português, recebi um visto de estudante e ganhei dinheiro dando aulas de inglês. Nesse período, eu aprendi muitas coisas sobre os vários extremos da cultura brasileira e me apaixonei com a música e muitos aspectos do jeito das pessoas. Eu descobri toda a música linda do Caetano, Milton, Chico, Vinícius, Tom, Caymmi, etc… e eu aproveitei o meu anonimato para absorver todo o caos que estava em processo em minha volta”.

Não deu outra, Johnny se apaixonou pela fonética do nosso português “o posicionamento da ênfase nas palavras é totalmente diferente do inglês e isso cria um outro jeito de formar melodias. Essa diferença no formato da língua virou uma coisa bem interessante quando eu estava formando as melodias para esse disco”.

O disco em questão é exatamente “Cais”. Com nome inspirado na música de Milton Nascimento, o projeto nasceu de várias mudanças. Samantha, a namorada que vocês já puderam perceber que tem bastante influência nisso tudo nos disse: “nossa experiência de vida em Anhangabaú, centro de São Paulo, combinada com nossa mudança para Rosslare Strand, Co. Wexford, na Irlanda, foi a base para todos as ideias envolvidas neste álbum”.

E ela revelou ainda “as letras que estão em ‘Cais’ são fragmentos de páginas do meu diário mais pessoal. Uma manhã, durante o café, Johnny começou a me mostrar umas melodias que tinha, e me perguntou se ele podia experimentar usar alguns dos meus escritos para fazer um álbum com letras em português. As músicas neste trabalho são o que são, sem pretensão. O álbum foi feito da forma mais sincera possível, nada para esconder, nada para mostrar demais. Todo o álbum foi feito aqui na nossa casa em Rosslare. Eu selecionei/juntei as letras, fiz os desenhos, fotos e o site, mas Johnny fez todo o resto, tudinho que envolve gravação e produção de um álbum, e com toda a dedicação do mundo”.

O resultado dessa lindeza de experiência você escuta logo mais abaixo.

O álbum também ganhou dois clipes bem especiais. Um para a faixa “Exposta” e outro para “Bonita Serena”, ambos gravados com iPhone, o primeiro com imagens de São Paulo e o segundo com imagens da Bahia.

Compartilhe